Pages - Menu

terça-feira, 3 de maio de 2011

Hoje fiquei pensando: E se eu esquecesse de tudo o que aconteceu comigo? Se eu esquecesse de quem sou e do que quero. Se eu esquecesse quem amo e quem odeio. E se eu esquecesse como ser eu, o que aconteceria? Eu escolheria as mesmas coisas? Eu amaria -e odiaria- as mesmas pessoas? Eu faria tudo igual? Ou faria tudo tão diferente que me tornaria outra pessoa? 
Desse jeito, eu nunca mais seria eu. Ou seria? Um outro eu. Se é assim, que coisa mais mutável e frágil é esse "eu", essa identidade. Quantos existem? Será que dá pra estimar um número? O que um eu tem haver com outro? Todos eles, no fundo, seriam a mesma pessoa ou seriam várias pessoas numa mesma? Salvo algumas heranças genéticas previsíveis, não existem respostas.
Acho melhor eu parar por aqui, isso ainda vai me causar uma dor de cabeça.

5 comentários:

Idiótica. disse...

Indagações importantíssimas.

Amanda disse...

E sem respostas também. Pelo menos, até agora.

Lucas Jones disse...

O melhor a se fazer não é saber quantos eu's cada um possui, e sim como lidar com cada um deles... e se possível conseguir tirar as melhores características dos mesmos.
Jones / JoNeS / jOnEs [...]

Antonio Souza disse...

Somos frutos dos nossos atos e pensamentos. Se esquecessemos do que fizemos e das nossas crenças, seriamos um novo ser. Mesmo corpo, mas com uma mente aberta a novas verdades a novas sensações. Como um pc formatado e com novo sistema operacional.

Amanda disse...

E isso tudo me assusta. O que será que eu iria pensar de mim se me tornasse um novo ser? Será que eu gostaria do que eu fiz? Só mais perguntas.